Pássaros que você pode ver no litoral de São Paulo

30 Nov

Enviado por

Categorias: Hotel, Turismo

Tags: , ,

Comentários: 1

Estamos em uma região bonita por natureza não é mesmo? Pra quem já visitou o litoral de São Paulo sabe que existe muito mais natureza além das praias. O litoral contém parte importante da fauna e flora da Mata Atlântica. Com um pouco de sorte e sabendo os locais mais propícios conseguimos avistar animais característicos da região.

Vamos citar abaixo alguns pássaros lindos típicos da nossa região e que visitam a Chácara do Mosteiro com certa frequência.

Beija-flor-de-fronte-violeta

Começamos com um bem popular. O Beija-flor-de-fronte-violeta vive em capoeiras, plantações, jardins e sub-bosques, isto é, na vegetação mais baixa das matas.

passarinho

Visita flores para tomar néctar, tanto em arbustos como em árvores, e também captura insetinhos e aranhas. Na zona rural, pode frequentar garrafinhas de água açucarada. Constrói o ninho sobre um galho ou forquilha, a pouca altura.

Araçari-banana

O Araçari-banana habita matas em regiões serranas, preferindo encostas ao longo de córregos, e não é comum em nenhum lugar. Vive em casal ou em bandinho, que no fim da tarde reúne-se em cavidades para pernoitar.

araçai

Come frutos e também flores, folhas e insetos. Pode predar ovos e filhotes de outras aves. Alimenta-se em árvores altas, mas pode descer até arbustos em busca de comida. Pouco se sabe sobre sua reprodução. Aninha em ocos de árvores altas, como nos ninhos vazios de pica-paus.

João-porca

Discreto, o João-porca vive em ambientes sombreados e escuros, na margem de água corrente, em meio à mata das regiões montanhosas. Sozinho ou em casal, passa o tempo fuçando na terra molhada e revirando com o bico folhas e gravetos.

joão porca

Alimenta-se de insetos, inclusive aquáticos. Faz ninho no fundo de longas galerias com até um metro de extensão, que escava em barrancos à beira d’água. É detectado sobretudo por seu canto agudo e potente adaptado para ser ouvido acima do barulho da água.

Bentevi

Bonito, o Bentevi é agitado e barulhento. Alimenta-se de insetos e frutos; come também lagartixas, filhotes de aves, restos de comida humana e o que houver disponível.

bentevi

Faz ninho no topo de árvores altas. É uma grande bola de capim, gravetos e raízes finas, que o casal leva quase um mês para construir. Durante o choco dos ovos e a criação dos filhotes, o casal protege o ninho gritando muito e atacando possíveis predadores. O canto característico “ben-tivi!” originou o nome popular. Para cantar, pousa em locais expostos, como no alto de árvores ou de postes, chamando a atenção.

Andorinha-grande

É a maior andorinha do Brasil. Vive em áreas abertas e no entorno de habitações humanas. Sozinha ou em pequenos grupos, come insetos alados durante o voo.

andorinha

Faz ninho em buracos em barrancos, sob beirais de casas e telhados e em ninhos abandonados de joão-de-barro. Vários casais podem aninhar próximos e chegam a formar grandes colônias. Ao pernoitar em árvores em área urbana, milhares de indivíduos podem juntar-se e sobrevoar a cidade ao escurecer, até descerem em massa para os poleiros, com manobras sincronizadas e espetaculares.

Cambacica

A pequena Cambacica é uma ave simpática e muito comum, habitante de qualquer área onde haja árvores, inclusive cidades. Em geral é vista sozinha.

img_9967

Em locais com abundância de flores, vários indivíduos podem juntar-se, mas sem se organizarem em bandos. Alimenta-se sobretudo de néctar de flores e também de frutos, insetos e aranhas. Usando capim seco, faz um ninho esférico com uma pequena entrada que leva à câmara interna. Aí a fêmea põe de dois a três ovos, que choca por 12 a 13 dias. A ave constrói também um ninho menor, menos caprichado, que usa para passar a noite.

Sanhaço-cinza

Apesar do nome, sob a luz do sol a plumagem do Sanhaço-cinza adquire um belo tom azul. Muito ativo, está sempre piando, cantando e voando de um galho a outro e é fácil perceber sua presença.

SANHAÇO-CINZA

Vive quase em qualquer ambiente, natural ou humano, exceto na mata fechada. Alimenta-se de frutos, insetos, néctar e pétalas de flores. Visita pomares e comedouros para comer frutas, inclusive em áreas urbanas. O casal constrói junto o ninho, uma cestinha bem elaborada, feita com materiais macios como paina e musgos, onde a fêmea põe três ovos. Os filhotes são criados e protegidos pelo casal.

Sabiá Laranjeira

O Sabiá-laranjeira é uma ave comum na América do Sul e o mais conhecido de todos os sabiás, identificado pela cor de ferrugem.

SABIÁ

Também bastante lembrado por seu bonito canto durante o período reprodutivo. É a ave símbolo do Estado de São Paulo.

Saíra

Pode ser encontrada espalhada pela mata atlântica e é muito frequente perto do litoral em mata mais densa.

saíra

Pode ser vista aos pares ou em pequenos grupos, às vezes com até 20 aves.

Sanhaço do Coqueiro

Além do Sanhaço-cinza, o Sanhaço-coqueiro verde também é fácil de ser avistado aqui pela Chácara do Mosteiro pois tem comportamento semelhante a do seu “irmão”.

SANHAÇO-COQUEIRO VERDE

Quando o sanhaçu-do-coqueiro voa mostra uma faixa clara no meio das penas longas da asa, característica marcante dessa espécie.

 Tie Preto

Também é conhecido pelos nomes de azulão, boiadeiro, carretão, espanta-vaqueiro, guaxe, papa-enxu, tejo, tiê-de-peito-vermelho e vaqueiro.

Capturar

Se alimenta de pequenos insetos e principalmente abelhas, ficando a espera perto de colmeias.

Tie Marrom

É na verdade a fêmea do Tie Preto

tie - marrom

O ninho, em forma de tigela, feito com ramos, cipós e folhas, forrado internamente com finas raízes. É feito em vegetação com menos de 2 metros de altura, mas de uma forma bem escondida de modo a evitar predadores.

Tie Sangue/Vermelho

Uma das espécies mais impressionantes da mata Atlântica e é visto aqui na Chácara é o magnífico Tie Sangue.

tie vermelho

Vive mais aos pares do que em pequenos grupos. Costuma frequentar comedouros. Espécie exclusiva do Brasil.


Tico-Tico

È uma das espécies mais conhecidas no Brasil e inspirou até uma música bem conhecida interpretada pela Carmém Miranda.

foto-de-tico-tico

Também comum em áreas urbanas e confundido (injustamente) com o Pardal.

 Periquito Verde

O Periquito Verde ou Periquito Rico é uma espécie comum no Brasil em regiões de mata atlântica mas pouco vista em áreas muito urbanas.

pericquito

Gostam de frutas e não desprezam flores doces e pequenos insetos. São vistas na Chácara do Mosteiro ao amanhecer.

Coruja Listrada

Devido ao desmatamento da Mata Atlântica essa espécie é considerada com um certo risco de extinção. É vista na Chácara do Mosteiro geralmente a noite procurando seus alimentos.

coruja (liastrada)

Alimentam-se principalmente de insetos, ratos, ratazanas, e pode predar lagartos e aves pequenas ocasionalmente.

Claro que há muito mais aves para observar. Já vimos muitas espécies aqui mesmo no terraço da Chácara do Mosteiro. Espero que tenham gostado. Quando estiver no litoral de São Paulo venha nos visitar.

Artigo baseado no Guia de Aves Mata Atlântica Paulista – WWF e através do site http://www.wikiaves.com.br/

  1. Pingback

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hospede-se com todo conforto! Apartamentos, suítes com hidromassagem e suítes com vista para o mar.

Refresque-se em meio à natureza, aproveite, relaxe e esqueça as preocupações!

Bolos, pães, geléias, sucos, chás, frios, cereais, frutas que irão prepará-lo para um dia repleto de atividades e descontração. Visualize nosso aquário. Tilápias e carpas.

Casamentos, aniversários e eventos corporativos.